Qualquer blog que você entre vai te encorajar a sair por aí sem rumo contando com a fé e a sua confiança. Basta acreditar e plim!, seus pés estarão nos Alpes. Mas é tão fácil como dizem? Não, meu caro, não é.

Sair por aí e esquecer do mundo em que você vive requer não apenas coragem (claro, afinal, esse é o ponto de partida e uma luta consigo mesmo), mas planejamento e força de vontade. Digamos que sua vida seja bem tranquila: sua família vive em harmonia, as pessoas ao seu redor te adoram, enfim, talvez uma vida de dar inveja em quem não possui afeto e tem a solidão como companhia.

Pra quem todo dia luta com seus próprios dilemas, a tarefa de decisão se torna um pouco mais difícil. Você se vê rodeado de coisas e pessoas boas, mas ao mesmo tempo, isso não parece o suficiente pro seu espírito – Oh, mas quanta ingratidão!

Tendo essas características como parâmetro, a fase de preguiça e de acomodação tomam conta de ti. E na maioria das vezes você se pega pensando “Ah, mas vou abandonar isso tudo?” ou “Mas as coisas parecem tão certas pra eu querer agora mudar o rumo da minha vida!”.

MAS POR QUE EU CONTINUO PENSANDO EM IR EMBORA?

Isso não tem a ver com seu ego ou com tendências. Isso tem a ver em se descobrir, em sair da tão famosa caixinha, em buscar outros lugares e pessoas pra conhecer e ver que ainda há coisas que valem a pena. Dizer adeus, mesmo que por pouco tempo, abdica muitas coisas que você não terá durante sua jornada.

Mas, pensando bem, os motivos que te fazem ir embora, também te fazem querer voltar. É só uma questão de tempo e autoconhecimento.

Afinal, lar é onde seu coração está.

Escrito por Maria Clara
Futura jornalista, taurina, apegada e desapegada também! Pensa muito, pensa tanto que resolveu escrever. A vida tem dessas coisas, não é!?